Bem vindos ao Viver Ciência!

No universo do Viver Ciência somos conduzidos a refletir acerca de diversas dimensões envolvidas na educação em ciências - as práticas pedagógicas, as abordagens epistemológicas, os modelos didáticos, as interrelações...
Apresentamos neste território as vivências e remanescências de uma construção coletiva da equipe do Viver Ciência.

Tenha uma boa viagem!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

COMO E ONDE A PSICOLOGIA FALHA. UM OLHAR SEMIÓTICO-CULTURAL.

CAFÉ CIENTÍFICO NA UFBA

DATA E HORÁRIO: 24 DE FEVEREIRO DE 2012 ÀS 10:00 HORAS

LOCAL: SALADEARTE CINEMA DA UFBA, PAC VALE DO CANELA

TEMA: COMO E ONDE A PSICOLOGIA FALHA. UM OLHAR SEMIÓTICO-CULTURAL.

CONVIDADO: DR. JAAN VALSINER, DA CLARK UNIVERSITY (EUA)

SOBRE O CONVIDADO: O Professor Dr. Jaan Valsiner, da Clark University (EUA), o principal teórico da Psicologia Cultural do Desenvolvimento na atualidade, visita a UFBA entre os próximos dias 23 e 29 de fevereiro, a convite do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFBa. Jaan Valsiner vem discutindo os modos pelos quais os sistemas psicológicos humanos regulam-se através da construção e reconstrução de hierarquia de signos - em outras palavras, através de processos de mediação semiótica, seu trabalho articula idéias antropológicas, sociológicas e psicológicas tendo como horizonte o desenvolvimento de pessoas na sociocultura.
Sua contribuição, tão extensa quanto substantiva, representa uma consistente crítica aos rumos que a ciência psicológica tomou ao longo do século XX, ao tempo em que trabalha intensamente, como profundo conhecedor da história dessa disciplina, para propor novas bases para a construção de uma Psicologia Cultural. Ao realizar esta árdua palavra, Jaan Valsiner mostra uma inesgotável capacidade de diálogo, de que é evidência imediata a imensa rede de pesquisadores com quem interage através de países e por vários continentes, rompendo efetivamente o etnocentrismo que vigora na área desde seus primórdios.
O que faz Valsiner é ampliar o território de sua disciplina em direção a fronteiras desconhecidas, a áreas de grande incerteza, que costumam gerar alguma suspeita ou explicações incompletas, como é o caso quanto à noção da irreversibilidade do tempo. É daí que se produzem ações e pensamentos sobre nós mesmos, assim como sobre o mundo em que vivemos, no espaço entre o presente e o futuro imediato, o qual flui em toda sua incerteza? (Rebeca Puche, discurso por ocasião da outorga do título de Doutor Honoris Causa a Jaan Valsiner, pela Universidade de Cali, Colômbia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.